segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Inseguro

Ainda estou inseguro.

Desde os últimos grandes eventos, ainda sinto uma forte insegurança dominando todas as moléculas do meu ser, o que me impede de experimentar quaisquer outros sentimentos em quaisquer outros contextos; exceto o medo.

Às vezes surge uma pequena pontada de raiva por ser obrigado a me conformar com essa situação e pela negligência por parte daqueles que jamais deveriam ser negligentes.

No fundo, somente desejo ir para casa, pois minha casa já não se mostra como a casa que eu tinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário