terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Mais um texto sem título

Seria o foco relevante para nosso crescimento? E aquela busca infinita pela pausa utópica jaz num canto dos afazeres?

A mesa está cheia, meu amigo. Arrume-a do seu jeito, mas nunca deixe de perder o fluxo. Ele é raro.

Já está na hora de classificá-lo como fantasma do passado (recente)?

Segue em frente. Não vire à esquerda, jamais! Não há relevâncias atrás.

Durma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário