domingo, 3 de abril de 2016

Não sigo o esteriótipo

Sim, existem vezes que me sinto uma metade. É impossível achá-la. Por mais intrínseco e deprimente seja o tempo que gasto na procura.

Não me junto com a metade. Não me envolvo no meio. Não sigo os padrões. Não tenho esteriótipos. Não pareço.

Mas o que me resta é um espelho.

E se o espelho quebrar? Sete anos de azar?
E se eu quebrar o espelho? Vinte e três anos preso num campo de centeio?

É possível usar códigos? Ler o script em outro programa? Criar uma nova linguagem? Reiniciar?

Também nunca me disseram que seria impossível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário