sábado, 9 de julho de 2016

Uma conversa noturna

"Basta me olhar na forma correta que me verás segurando uma coisa. Essa coisa tem vida, tem morte, tem coisas, tem tudo, tem nada, tem seja lá o que for. Mas ela me prende conforme o andar da carruagem.
Estou sob pressão.
E estou sozinho.
No péssimo sentido.
E não foi minha escolha."


"Mas e daí?
Vai ficar falando isso para que o mundo ouça e novamente prove sua teoria de que, de fato, ninguém se importa?"
"Fuja!"

"Não."

"Então o que farás? Dormirás? Correrás? Farás teu dever conforme te foi ordenado? Prove HIM wrong?"

"Não.
Ou tanto faz. Não é o que desejo."

"Então o que desejas?"

"Sir, tal pergunta já lhe fora respondida nas entrelinhas de tanto o que escrevo. Tudo está tão ligado e cheio de propostas e teorias distintas que podes escrever outro livro com elas.
E, no entanto, resumo em apenas duas palavras: ser feliz."

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Até então

Até você pisar em falso e cair num abismo
O mundo é colorido
Preto e branco
Como um dia de sol magnífico 
E ceu azul em visões deslumbrantes
Ou como um belo dia de inverno
Com frio e neve dominando tudo
Não importa de que jeito
O mundo é confortável
Agradável a tudo
Para todos os gostos
Para quem ama todas as cores
Ou para quem somente veste preto
O mundo é feliz
O mundo é do bem.


Até você pisar em falso, errar o movimento, apertar a tecla errada, dizer o que não deveria ter sido dito e cair no abismo. 
E não há volta.